Notícias

A prevenção é a melhor forma de combate a todo tipo de câncer22/09/2017



O 66º Congresso Brasileiro de Coloproctologia, que está sendo realizado em Foz do Iguaçu e reúne 1.300 participantes, trouxe para a fronteira especialistas do Brasil e do mundo. Desde quarta-feira os profissionais da área discutem os avanços no combate ao câncer no intestino grosso (colón). São vários cursos e muitas palestras sobre assuntos diversos que preocupam os especialistas no trabalho de prevenção e tratamento do câncer.  Colonoscopia, doenças inflamatórias intestinais, doenças orificiais, que envolvem hemorroidas e fístulas e que atingem o ânus e o reto, são alguns dos temas do evento promovido pela Sociedade Brasileira de Coloproctologia (SBCP).

"A prevenção é a melhor forma de combate às doenças, precisamos sempre estar à frente das enfermidades, com os avanços da tecnologia, com os estudos aprofundados, a qualidade de nossos especialistas. A Sociedade Brasileira de Coloproctologia conta com profissionais que estão relacionados entre os melhores do mundo na especialidade, por isso é possível tratar a pessoa para se evitar um problema mais sério no futuro. A prevenção é tudo. Por isso qualquer sinal de sangramento nas fezes, perda de peso, diarreia que não melhore, procure um médico para diagnosticar a doença e poder tratá-la antes que se torne algo mais grave", destacou Dr. Paulo Kotze, um dos integrantes da diretoria da SBCP.

Dia de falar sobre a hereditariedade do câncer colorretal

O câncer colorretal, ou câncer do intestino grosso, é o segundo em incidência nas mulheres por causa de morte por incidência de câncer e o terceiro nos homens em incidência de câncer, sendo suplantado nos homens pelo câncer do pulmão e da próstata e nas mulheres pelo câncer de mama. De acordo com os especialistas, é um câncer relativamente comum, o mais comum no aparelho digestivo, uma doença silenciosa que geralmente as pessoas sentem apenas quando aparecem os sintomas, o que significa que a doença já está avançada. Os pacientes se queixam de diarreia, intestino trancado, barriga estufada – esses são os sinais para que a pessoa procure imediatamente um médico. "Por isso o alerta para quem tem mais de 50 anos de idade. Essas pessoas devem procurar o médico mesmo sem nenhum sintoma para exames preventivos, o que vai fazer toda a diferença no tratamento. Uma vida saudável, sem excesso, ajuda e muito a evitar as doenças mais graves", destacou Dra. Maria Cristina Sartor, presidente do congresso.

Os especialistas discutiram ainda problemas que podem colaborar no diagnóstico da doença. A hereditariedade foi um dos temas dos debates entre os profissionais, por isso é preciso ficar atento aos casos de câncer na família, que podem indicar uma possibilidade a mais de a doença poder existir.

 



Mais notícias

Voltar
Scroll to top